26 de dezembro de 2010

Receita para o Reveillon!



Direto de Machu Pichu, segue receita de Pisco Sour:


Ingredientes: pisco puro, açúcar, suco de limão, angostura e gelo


Preparação: 
Colocar numa coqueteleira:
   3 partes de pisco puro
   2 partes de açúcar
   1 parte de suco de limão
   meia clara de ovo
   gelo ao gosto
Depois agitar todos os ingredientes, servir e adicionar 2 gotas de angostura no copo!

17 de novembro de 2010

Enfim Machu Pichu



O lugar é realmente especial, encravada no alto da montanha a cidade possui uma energia diferente. Chegamos cedo para vermos Machu Pichu da Porta do Sol, chegada da famosa Trilha Inca. Estava frio e com uma névoa densa, subíamos a trilha torcendo para os ventos afastarem as nuvens e, felizmente, conseguimos ver a cidade por dois minutos. Depois descemos e nos juntamos ao grupo para fazer a visita guiada pelas ruínas.


Dica: chegue cedo, muito cedo, para evitar ao máximo o volume impressionante de turistas e aproveitar a luz da manhã.

30 de outubro de 2010

Trilha de Salkantay - Peru



Jacuzi aquecida neste paraíso...não tem preço!


Dos mais de 40.000 km de trilhas construídas pelos Incas, utilizamos alguns trechos ainda conservados para passear pelo bonito relevo da região, que mistura o clima tropical a 2.800 m de altitude com o clima temperado a 4.600 m.
Poderíamos fazer a caminhada em acampamentos, carregando mochilas com ou sem ajuda de mulas ou ficando hospedados em Lodges de alto luxo, com aquecimento e jacuzi ao longo da trilha...qual escolhemos...os Lodges, é claro, sofrer para quê????
A estrutura oferecida pela Mountain Lodges of Peru era excelente! Os 4 lodges oferecem conforto, água quente em abundância e refeições de alto nível, explicaram que as obras demoraram 2 anos e precisaram de 30.000 viagens de mula (único meio de transporte) e até helicóptero!
Nosso grupo era excelente, além dos guias serem super divertidos! Recomendo a todos!

Dica:

Agência de viagem no Brasil: 14 Bis Turismo (falar com a Bernadete). 

Veja o trajeto da viagem: http://tico.blog.br/Trajeto.pdf e http://tico.blog.br/Tabela.pdf






Primeiro e Segundo Dia de Caminhada





No primeiro dia, fomos levados de van até o ponto de início da caminhada, começava a jornada de 7 dias até Machu Pichu, cerca de 60 km de trilhas aguardavam a gente...no segundo dia fomos visitar um lago formado pelo degelo do glaciar do Monte Humantay.




Terceiro Dia de Caminhada - 4.600m de altitude






No terceiro dia, subimos até o "El Paso", passagem entre as montanhas com 4.600 m de altitude, a sensação de alcançar o topo era maravilhosa, ficamos lá em cima cerca de 20 minutos e tivemos a oportunidade de ouvir, por que ver estava impossível devido a neblina, uma avalanche de neve que durou 4 minutos... 




Quarto e Quinto dia - Avistamos Machu Pichu





Todos os dias curtíamos as jacuzis aquecidas dos lodges...mas a melhor sensação foi avistar Machu Pichu há 8 km de distância, nossa caminhada estava chegando ao fim... 



28 de outubro de 2010

Cusco e Vale Sagrado

Clique na foto para acessar o álbum
Nossa viagem tinha como objetivo fazer uma trilha para Machu Pichu, mas antes tínhamos 2 dias para conhecermos Cusco, antiga capital do Império Inca, que preserva algumas ruínas, além da interessante mistura entre a engenharia Inca e a arquitetura espanhola. Os espanhóis utilizaram as pedras cuidadosamente colocadas pelos Incas para construir por cima.
No primeiro dia, visitamos a cidade e o templo de Sacsayhuaman, além da imperdível visita guiada à Catedral, situada na Praça de Armas, e ao Korikanch, Templo do Sol.
No outro dia, visitamos o Vale Sagrado, vale do Rio Urubamba, chamado assim devido ao solo extremamente fértil e de onde pode se ver diversas ruínas do império Inca. O passeio encanta pela beleza do trajeto entre pequenas fazendas e cheio de montanhas nevadas ao redor, num bonito contraste entre o verde e amarelo das fazenda e o branco dos cumes. Visitamos as salinas de Maras, em atividade até hoje, e pelas ruínas de Moray, utilizada antigamente para desenvolver mudas e pesquisas para aperfeiçoar o cultivo, além do templo de Ollantaytambo.

Dicas


Guia com carro (excelente!)
Renato Baca – renato10cusco@hotmail.com – tel 0051 084432101

Restaurantes:
Inka Grill – Portal de Panes, 115 (Plaza de Armas)
Incanto Ristorante – Santa Catalina Angosta, 135
Ciccionlina – Calle Triunfo, 393

Operadora de Cusco: Carrusel – www.viajesconcarrusel.com

8 de setembro de 2010

Pedra do Frade

Clique na Foto para acessar o albúm

Serra da Bocaina (divisa SP-RJ), a 1.550m de altitude e aproximadamente 40 km de caminhada...

Depois de muita insistência do nosso amigo Cobra, conseguimos marcar nossa subida até a Pedra do Frade.
Os corajosos dessa empreitada fomos eu, a Ju, o Cobra e o Pablo, sem falar do nosso guia Pica-Pau.
Saímos sexta-feira do Rio rumo a Bananal e dormimos por lá.
Acordamos 4h30 da manhã, pegamos uma van até a entrada da trilha na Serra da Bocaina, e pé na trilha...depois de 7 horas de caminhada com muito sol, chegamos na base da subida para a Pedra do Frade e com mais duas horas de subida ingrime chegamos no lance final de nossa aventura. Subimos uma espécie de escada colada no morro agarrando raízes de árvores e cordas....o mais difícil não era a subida e sim o peso que estávamos carregando nas costas.

Chegamos a tempo de ver o sensacional por do sol na Serra, impressionante o visual da Pedra e a sensação de você estar lá em cima com a cidade de Angra dos Reis aos seus pés.
Armamos a barraca, ficamos tomando vinho e jogando papo fora.

Acordamos às 5:30 da manhã, para contemplar os primeiros raios de sol e tirarmos as ultimas fotos lá de cima.
Por volta das 7:30 estávamos de volta na trilha, que durou apenas 6:30 h , com a ajuda do tempo que resolveu ficar nublado e chuvosos.

Recomendo a todos esse “passeio”. É sensacional!!!! Mas não contem comigo, pois é o tipo de caminhada que se faz somente uma vez na vida.
Rumo aos novos destinos...

7 de setembro de 2010

Noronha é Sensacional !!!


Clique na foto para acessar o álbum.

Noronha é Sensacional!!!! Agosto 2010

Ilha perdida no meio do Atlântico, santuário da vida marítima.  
Do avião já da para ter uma noção da beleza dessa ilha, com lindas praias e uma mata verde exuberante.
Fizemos o passeio Ilhatur (optamos por fazer o passeio com Buggy de forma particular recomendo! Fale com o Flávio Dino, taxista/guia, gente fina – tel (81) 8680-6735 ou 9940-8835), que visita todas as principais praias da ilha para termos uma noção geral de Fernando de Noronha e na parada para o almoço, aproveitamos para comer o famoso peixe na folha da bananeira no Restaurante das Gêmeas, na praia da Cacimba do Padre. (não esqueçam de levar ou alugar mascara e pé de pato para o Snorkel, pois em qualquer praia o mergulho é maravilhoso).
Separamos o dia seguinte para fazer o passeio de barco pelo Mar de Dentro, saímos do porto com a companhia dos golfinhos e, na volta, fizemos o sensacional mergulho a reboque (imperdível), mas recomendo fazer dois passeios independentes. Curtimos de tarde a praia do Cachorro e de noite, jantamos no maravilhoso restaurante Mergulhão.
Na quinta, curtimos a praia da Cacimba do Padre e, como não podíamos deixar de aproveitar a oportunidade, fiz o batismo marítimo. Foi sensacional!!!! Muito bom apreciar a vida marítima, no silencio e na paz do fundo do mar.
No outro dia, madrugamos para mergulhar na piscina (ou praia) do Atalaia, onde o turismo respeita a vida marinha (é proibido passar qualquer tipo de protetor ou repelente antes de mergulhar na piscina natural). Continuando a sessão de mergulho, fomos para a praia do Sueste, a praia é linda, mergulhei com as tartarugas, mas sai da água com a Ju me chamando, acelerei pois não sabia o que era.....tinham duas hipóteses, ou era uma coisa muito legal para ver fora da água ou era um tubarão dentro da água, em 10 segundos estava na areia...fiquei sabendo que um garoto havia acabado de se queimar com uma água viva muito comum nesta praia...para fechar o dia com chave de ouro almoçamos na Pousada Maravilha, comida sensacional com uma vista deslumbrante!!!
No Sábado, fomos mergulhar na praia do Porto, onde existe um naufrágio, vimos muitas tartarugas, peixes e ouvimos os golfinhos de baixo da água, já que eles estavam a 200 metros de distância, depois fomos pra praia da Conceição onde ficamos tomando varias caipirinhas no Bar Duda Rei.

No último dia aproveitamos a praia do Cachorro e visitamos o forte dos Remédios.

Dicas:
Pagar a taxa ambiental pela Internet antes de ir para a ilha
Mergulho de Snorkel: cacimba do Padre e praia do Porto (Sensacional!)
Restaurantes: Mergulhão, Varanda e restaurante da pousada Maravilha (que visual)
Mergulho: Atlantis (o pessoal é muito profissional e tira umas fotos LINDAS)
Pousada Tia Zete

28 de março de 2010

Adeus Nova Zelândia

Clique na foto para acessar o álbum!


Fomos presenteados na viagem de volta para Auckland por um lindo dia de Sol e apreciamos da janela do avião o impressionante relevo da Nova Zelândia, muitas montanhas, picos nevados e antigos vulcões.
No trajeto de volta para Los Angeles voamos pela Emirate, no maior avião de passageiros do mundo o A380, impressionante.

27 de março de 2010

Queenstown (Mildford Sound)

Clique na foto para acessar o álbum!

Chegou o grande dia de conhecer o famoso Milford Sound. O passeio começava as 7 horas da manhã, quase perdemos o passeio porque o despertador não funcionou, pulamos da cama e em 5 mnutos estavamos no Lobby do Hotel (sinistro). O passeio de ônibus até o estreito demorava 4 horas sob uma paisagem muito linda pelas montanhas da ilha sul da Nova Zelandia. Dá para entender porque estas cordilheiras estão sempre com nuvens, elas surgem do mar e alcançam a altura de 3.000 metros de altura com neve eterna no cume atraindo a umidade do mar. Neste ambiente, entramos no barco e navegamos pelo estreito com escarpas lindas e diversas cachoeiras, mar calmo com direito a ver focas se divertindo na região.

Queenstown (DartRiver)

Clique na foto para acessar o álbum!


Fizemos um passeio sensacional pelos riachos e corredeiras formadas pelo derretimento dos glaciares. A subida foi emocionante e em alta velocidade por um Jet Boat (barco com propulsão a jato) ziguezagueando pelos riachos, congelando o nariz e, de vez em quando, dando um 360º !!! Depois de meia hora frenética saltamos para terra firme, inflamos nossos caiques e descemos as corredeiras, nem sempre tão calmas, o passeio de volta demorou 3 horas com parada para almoço ao lado de uma gruta com água verde clara colada na floresta (sensacional!!!!).
Só tinha a gente na região, sem casas, sem barulho, pura natureza com a geografia do filme Senhor dos Anéis de fundo...Não precisa dizer mais nada...

17 de março de 2010

10 de março de 2010

Rotorua

Clique na foto para acessar o álbum!

Na capital do turismo de aventura da Nova Zelândia, não fizemos Bung Jump, mas conhecemos as raízes da cultura Maori, e a maior estação termal do mundo. É impressionante a força da natureza, nesta cidade, que está localizada exatamente entre a placa tectônica do Pacífico e da Índia-Australia, ocorreu em 1886 o maior vulcão dos últimos 5.000 anos destruindo a cidade mas deixando “belas marcas”.
Na ida visitamos a vila Maori chamada Whakarewarewa, que procura manter os antigos hábitos e costumes e possui em sua aldeia Geisers e poços de lama borbulhante que alcançam a temperatura de mais de 200 graus!!! No final do dia relaxamos nas águas termais no Polynesian SPA.
Fomos jantar num restaurante francês, maravilhoso, com direito a um bom vinho da Nova Zelândia. (nas fotos, vocês podem ver um dos pratos que apreciamos). Recomendamos a todos o Bistrô 1284 (Eruera St 1284).
No dia seguinte fomos na estação Geotermal Wai-o-tapu ver as marcas deixada pelo antigo vulcão da região, impressionante, tiramos algumas fotos, mas acho difícil transmitir a grandiosidade da região...
No retorno para Auckland passamos pelas cavernas de Waitomo, onde pudemos passear pelas formações geológicas e por um passeio de barco no mais total breu ver as colônias de vagalumes formarem uma verdadeira constelação de estrelas em baixo da terra.
Estamos saindo agora em direção a Quenstown, nossa última parada...

8 de março de 2010

Auckland

Clique na foto para acessar o álbum!

Foi a nossa porta de entrada na Nova Zelândia, do avião já foi possível perceber que o país possui grandes belezas naturais. Auckland não possui grandes atrações turísticas, o que é possível constatar pelas poucas fotos da cidade.
No domingo, pegamos o ferryboat e fomos para Waiheke Island, o tempo estava ótimo, muito sol e deu até para curtir a praia.
A ilha possui diversas mansões, é recheada de vinícolas, marinas e praias, uma mais linda que a outra. Ficamos na última praia chamada Onetangi, depois almoçamos um típico pernil de ovelha no restaurante da praia e voltamos por volta das 17 hs e fomos correr no parque próximo do hotel.
Foi um típico dia de domingo!!!!

7 de março de 2010

Mais Sidney

Clique na foto para acessar o álbum!

Depois de nosso tradicional café da manhã, pegamos o Ferryboat para Circular Quay (principal estação de barcos/trem/ônibus da cidade), visitamos o símbolo mais marcante de Sidney, o Opera House (fantástico!!!) e, depois de caminhar pelo Botanic Garden, fomos para Paddington, bairro que ainda guarda os traços marcantes da arquitetura vitoriana.
O transporte publico impecável nos levou de volta ao centro, onde pudemos caminhar próximos aos arranha-céus da cidade, inclusive a Sydney Tower. Para fechar o dia passeamos pela região chamada The Rocks.
No dia seguinte, fomos para a famosa praia Bondi Beach, mas como o clima não ajudou, tiramos algumas fotos e almoçamos num restaurante Thai maravilhoso na praia (Wak Noodle bar, 7/164 Campbell Pde), segundo a Ju, o melhor Thai que ela já viu, tinha até arroz integral.
O mais curioso da praia é que Bondi Beach é um point fortíssimo de surfistas e por conta disso, só é permitido se banhar no meio da praia, daí vem a expressão da grife de roupas australiana: Between the Flags (BTF).
Para fechar o pacote de Sidney fomos a Darling Harbour, mas como estava chovendo, não ficamos muito tempo.
De noite só nos restou tomar um vinho no restaurante italiano próximo do hotel.
Dica: Para quem vai/volta do aeroporto, use o trem, funciona muito bem!

4 de março de 2010

Sidney

Clique na foto para acessar o álbum!!!
É uma cidade para se morar, tem toda a infraestrutura de uma grande cidade mas com ar de cidade pequena, não é a toa que os brasileiros adotaram a cidade. Por aqui se vê diversos brasileiros, ao contrario de Melbourne. Para vocês terem uma idéia, do lado do nosso hotel tem um restaurante de BBQ chamado Brazuca.
Estamos hospedados em Manly (num hotel de frente pra uma paria maravilhosa) que fica a 30 minutos do centro de Sidney por Ferriboat.
Ao contrario do que dizem, a comida aqui é muito boa, almoçamos num restaurante Thai que recomendamos a todos.
No final da tarde, nos juntamos a centenas de australianos que estavam praticando esporte na praia e fomos correr pela orla, podemos dizer que a cidade transpira esporte (vôlei de praia, corrida, vela).
De noite saímos para jantar e percebemos que o bar do nosso hotel era o point da galera australiana. Realmente o bar é muito lindo com uma arquitetura bem moderna.
A noite termina cedo, às 22:00 as coisas começam a fechar.
Dicas:
Restaurante: Mortar Pestle (Thai food em Manly, 02 Darley Rd.)
Dê preferência para se hospedar em Manly, ao invés de ficar em Sidney

Melbourne - Day Tour

Clique na foto para acessar o álbum!


Day Tours: Foram 2 dias de passeios fantásticos!!!!!
Penguin Parade - ver os pinguins saindo do mar e caminhando em grupo no meio da natureza não tem preço, eles são lindos, são os menores pingüins do mundo (50 cm). Para completar o passeio, tem uma visita a fábrica de chocolate (Hummmm). Infelizmente não temos fotos dos pingüins, pois é proibido levar máquina para o local.
Outro momento fantástico foi ver os Koalas, parecem de pelúcia, vivem dormindo.
Dica: levar roupa de frio para ver os pingüins (gorro, luva, cobertor...)
Great Ocean Road - visual sensacional, imperdível, mas impossível pensar em ir a praia, o vento é muito frio.
Fizemos nossos passeios com a www.gowest.com.au

28 de fevereiro de 2010

Melbourne

Clique na foto para acessar o albúm



Melbourne, cidade das fachadas modernas e das pessoas de olhos puxados...
Depois de horas de voo do dia anterior, só nos restou irmos dormir cedo na noite passada e por conta disso, acabamos acordando às 5:30 da manhã (esse negócio de fuso é muito louco). Pra não perder o costume, aproveitamos que estávamos acordados, e fomos fazer nosso treino de corrida na academia do hotel, depois fomos bater perna pela cidade, ou melhor, utilizar o sistema de transporte gratuito para turistas (Circle Train e o Tourist Shuttle). A cidade surpreende pela agitação, tem muitos jovens em Melbourne, devido as boas faculdades que a cidade hospeda.
Passeamos por um bairro (ao redor da Burnswick St.) que lembra muito o Palermo em Buenos Aires. É um bairro alternativo, com lojas vintage e bons restaurantes. Almoçamos num restaurante italiano que recomendamos a todos que vierem visitar a cidade (Umago – 173, Burnswick St.), não deixe, também, de tomar um bom cafezinho.
Passeamos pelo centro da cidade, que estava fervilhando com diversos shows na rua e nos bares, e voltamos para o hotel de noite, o fuso ainda nos obriga a dormir cedo (21h).

Dicas:
Reservas: www.expedia.com.au
Transfer do aeroporto para a cidade ($26 ida e volta): www.skybus.com.au
Hotel: BestWestern Atlantis

27 de fevereiro de 2010

Austrália e Nova Zelândia


Skyline de Sidney visto do aeroporto
Estamos de volta ao Blog, é sinal de férias!!!!
Chegamos no aeroporto de Dallas e do lado de fora os termômetros marcavam -2 graus, ainda bem que não precisamos sair, pois iríamos congelar....Pra não variar, a American Airlines cancelou o nosso voo, e com isso, tivemos que ficar mais 4 horas no aeroporto, pra quem já estava viajando há 12 horas, só nos restou tomar um café e relaxar. Chegamos em L.A por voltas das 13 hs e de noite saímos (eu, Ju, Rogério e Lia) para jantar com o Mário Márcio.
No dia seguinte o quarteto foi às compras no outlet, não sei se é a crise, mas os preços estavam ótimos e saímos de lá somente quando estava fechando. Aconselhamos a todos que forem à LA passarem no Camarillo Outlet.
Passada a esbornia consumista (ufa!) eu e a Ju fomos no dia 25 para Sidney, o dia 26 sumiu do nosso calendário e chegamos em Melbourne no dia 27.
Vale uma pausa para contar como era o check-in da Cia aérea (V Austrália) no aeroporto de L.A.
Para se ter uma idéia, no chão tinha carpete quadriculado com tapete roxo e as paredes eram rosa com luzes rosas no teto, sem contar a música, que parecia mais uma rave do que um aeroporto. Ficamos com medo do que nos esperava para esse voo, mas no final acabou tudo bem, o avião era novinho, supermoderno e tinha mais de 30 filmes para escolher, sem falar na comida que era muito boa.